Segunda Feira, 23 de Outubro de 2017
Ibema repassa patrulha agrícola a produtores

Criar meios para desenvolver a economia, gerando oportunidades e avanços em qualidade de vida.

 Administrador
 19/09/2017|00:01:09
 Agricultura

Criar meios para desenvolver a economia, gerando oportunidades e avanços em qualidade de vida, é um dos principais compromissos da terceira gestão de Adelar Arrosi (PSDB) como prefeito de Ibema. De olho nisso, o prefeito e outros líderes locais fizeram há poucos dias o repasse de uma patrulha agrícola à Associação dos Pequenos Produtores Rurais da comunidade de Tapuí, no interior de Ibema.

O termo de comodato de número 269/2017 foi assinado pelo prefeito e pelo presidente da Associação, o agricultor Leocir Casarotto. Por meio dele, há deveres que precisam ser observados pela administração pública municipal e pelas pessoas que dirigem e compõem a referida entidade rural. O termo fez o repasse de trator 4x4, subsolador, ensiladeira, pulverizador, carreta metálica, grade aradora e distribuidor de fertilizantes.

Adelar Arrosi informa que uma das principais finalidades da parceria é colocar à disposição de pequenos agricultores equipamentos que, utilizados adequadamente, permitirão inserir novas tecnologias em pequenas propriedades, fazendo assim com que ocorram produções e produtividades melhores, bem como o gradual ganho em qualidade em tudo o que se extrai das áreas dedicadas à agricultura comercial e de subsistência. “É do campo que Ibema extrai grande parte de suas riquezas e empregos. Por isso, ser parceiro desse segmento é um dos compromissos de seu governo”, diz o prefeito.

Pelos termos do comodato, que tem validade de cinco anos e pode ser renovado por igual período, é responsabilidade da administração pública, por meio dos setores competentes, orientar, fiscalizar e verificar o correto uso das máquinas e de todos os implementos repassados. À Associação, por sua vez, cabe receber e se responsabilizar pela guarda e manutenção da patrulha. Em caso de danos ou prejuízos, a entidade terá que

responder pelos mesmos, bem como por ação, omissão ou negligência que vier a ocorrer.

A associação terá que compartilhar dos objetivos dos termos, bem como informar aos produtores integrados sobre normas e procedimentos ambientais que precisam ser respeitados. Terá ainda que elaborar o regimento da entidade e definir serviços a serem executados, bem como valores a serem cobrados e indicar os coordenadores dos trabalhos. A cada 30 dias, a associação terá de prestar contas do funcionamento e utilização da patrulha à administração pública municipal. Adelar Arrosi informa que o descumprimento das regras do termo ou o uso inadequado dos equipamentos levará à rescisão do contrato da prefeitura com a associação de pequenos produtores rurais.



Confira imagem(ns).