Terça Feira, 12 de Dezembro de 2017
UBS, atendimento por Demanda Espontânea

Novo método revoluciona atenção à saúde pública em Ibema

 Administrador
 26/10/2017|20:19:53
 Saúde

Um novo formato de atendimentos revoluciona nas últimas semanas o modelo de saúde pública em Ibema. A base dessa nova relação entre equipe e pacientes está em entender com profundidade a dinâmica do setor e os anseios das pessoas que dependem da assistência médica gratuita e então, de forma ampla, colocar esse método em prática. O foco das ações é a demanda espontânea, diz o prefeito Adelar Arrosi (PSDB), animado com os resultados que têm sido alcançados desde que a novidade entrou em prática.

A alteração é simples, fazendo com que todas as pessoas que procuram a UBS (Unidade Básica de Saúde) sejam atendidas no mesmo dia. “Sem dispersar ou retardar os atendimentos, a tendência, já comprovada, é de a procura ser gradativamente menor pois acaba com o "represamento”. O impacto dessa postura é substancial, conforme Adelar Arrosi, para a qualidade de vida e para a saúde das pessoas. “Não há mais necessidade de que os pacientes se dirijam cedinho às unidades de saúde antes do inicio do expediente, esperar para ser atendidos”.

O prefeito afirma que o formato é novo e ainda está em processo de assimilação. “Mas quando ele estiver suficientemente digerido e compreendido, as filas serão conseqüentemente zeradas”. O fluxo ocorre, pelo modelo empregado, de forma contínua seguindo o expediente da unidade, que abre das 7h30 às 11h30 e das 13h às 17h. sem picos. “Esse novo modelo de atenção às pessoas que precisam da rede pública de saúde, por meio da UBS, satisfaz e democratiza os atendimentos”, conforme Adelar Arrosi.

Com forte atenção aos critérios da triagem, o atendimento respeita as prioridades, ou seja, aqueles casos que inspiram mais

cuidados. “Recebem atenção às necessidades mais urgentes, como de pessoas idosas, gestantes e portadores de deficiências”, segundo o prefeito. Essa lógica se sobrepõe a um mecanismo antigo e ultrapassado pelo qual era selecionada uma quantia específica de pacientes, por ordem de chegada, (fixa), levando à dispensa dos demais. “Aquela prática, que pelo bem da saúde pública deve ser abandonada, ocasionava represamento e insatisfação. Esse modelo, antiquado de (fixas), comum em cadeias, presídios e delegacias, é inadequado para atender pacientes da rede pública de saúde”, diz Adelar Arrosi.

“Desde o início do ano eu tentava colocar esse sistema em prática. Encontrei resistência e alguma incompreensão ao modelo. Finalmente, o novo secretário da Saúde (Rodrigo Cassaneli) traduziu e interpretou corretamente o meu plano, modelo”. A proposta é priorizar o acolhimento com base em estudos já comprovadamente assertivos e de resultados muito bons, inclusive em institutos de medicina. Um dos indicadores considerados nas pesquisas é o contingente de profissionais disponíveis conforme o número de habitantes que freqüentam o espaço de saúde em questão.

Exemplo de "represamento": se o sistema antigo, dispensava 5 pacientes para o dia seguinte, conseqüentemente aqueles cinco automaticamente acumulavam-se, seqüencialmente cada dia; em 5 dias o antigo sistema teria 25 pessoas represadas sem atendimento, o que tornava irreversível, tumulto e a insatisfação.

 

Avanços

Com transparência, empenho, trabalho e observando as técnicas recomendadas, é possível garantir respeitando as pessoas e colocando a estrutura pública a serviço de uma área fundamental. A modernidade, que avança em todos os setores públicos de Ibema, já traz inúmeros benefícios à comunidade, que tenta se recuperar de períodos de enormes dificuldades no campo da administração

municipal. “Com coragem, determinação e discernimento é possível fazer muito mais com menos”, afirma o prefeito Adelar Arrosi.