Quarta Feira, 24 de Julho de 2019
Cada um faz e tudo muda...

Indigência e vício são os dois extremos da infelicidade. Ambos são igualmente antinaturais e o resultado da desordem mental.

 Administrador
 18/06/2017|20:15:37
 Gabinete

Homem algum atinge um condicionamento adequado enquanto não se sente feliz, saudável e prospero; a felicidade a saúde e a prosperidade são o resultado de um harmonioso ajustamento do interior, do homem ao seu meio.

O homem só começa a ser homem quando PARA DE LAMENTAR-SE e de proferir injúrias, começa a buscar a justiça oculta que regula sua vida. Na medida em que adapta sua mente a esse fator regulador, passa a entender TUDO pela mais nítida e absoluta realidade, sobre qualquer coisa passa ser realista, sem maquiar, coisas da vida ou de morte, entender realmente e admitir a realidade, sem teatro algum.

Deixa de causar e ou culpar os outros de serem a causa de sua eventual situação difícil, começa a edifica-se com realismo, pensamentos fortes, nobres e retos; PARA DE ESPERNEAR contra as circunstancias e começa a USÁ-LAS como ajudas para alcançar um progresso na inteligência do ser, mais rápido como um meio de descobrir dentro de si próprio o grande potencial, buscar as forças que tem e as por em pratica.

A Lei e não a confusão é o principio dominante no universo; justiça e não injustiça constitui o ser adequado e necessário ao conjunto social, que é a grande substância da vida; honestidade e não corrupção é a força moderadora e impulsionadora, seja pelos atos práticos e muito mais pela credibilidade que isso vai lhe agregando como legado.

Assim sendo, o homem tem apenas QUE ENDIREITAR A SI PRÓPRIO PARA ENDIREITAR O UNIVERSO, durante o processo de endireitar-se, descobrirá que na medida em que modifica seus pensamentos, retrógrados e mesquinhos, em relação às coisas e ao próximo, AS COISAS E O PRÓXIMO SE MODIFICAM PARA MELHOR EM RELAÇÃO A ELE.

Adelar Arrosi.