Quarta Feira, 19 de Setembro de 2018
Uma gestão alicerçada no trabalho e na superação

Ibema, uma das muitas pequenas cidades do interior do Brasil, diferencia-se pela determinação e arrojo do estilo de gestão empregada.

 Administrador
 28/06/2018|21:47:29
 Obras

Ibema, uma das muitas pequenas cidades do interior do Brasil, diferencia-se pela determinação e arrojo do estilo de gestão empregado pelo prefeito Adelar Arrosi (PSDB). Empreendedorismo, austeridade e criatividade andam juntas na composição de um governo que, ao mesmo tempo em que investe em obras e em qualidade de vida, mostra aos moradores que trabalho, ordem e cidadania são imprescindíveis para a construção de um município do qual todos podem se orgulhar.

Adelar Arrosi assumiu seu terceiro mandato de prefeito em janeiro de 2017 e a situação que encontrou não era nada boa. Ibema estava no ápice de uma das suas maiores crises políticas e de desconfiança de sua história. O então prefeito, secretários e empresários envolvidos em escândalo, chegaram a ser presos acusados de comandar um esquema que subtraiu somas expressivas do dinheiro público.

“Assumi com a missão de recuperar a imagem e a auto-estima e com o dever de devolver à população uma cidade da qual pudesse se orgulhar”, diz Adelar Arrosi. “Felizmente, 18 meses depois posso afirmar que estamos na direção certa”.

A adoção de uma cuidadosa e criteriosa política de administração apoiado por uma equipe eficiente e comprometida com a prática de moralidade implantada por Adelar, permite ao gestor ter acesso amplo e rápido aos todos os indicadores locais, principalmente aos financeiros.
“Minha equipe e eu valorizamos cada centavo, porque sabemos que esse dinheiro vem dos tributos que os cidadãos com tanto sacrifício pagam. Aqui, o dinheiro público cumpre com suas funções de atender aos interesses da comunidade, (coletivamente)”. A gestão austera vem permitindo a Adelar Arrosi, mesmo com oscilações e quedas de receita, investir recursos próprios na estruturação urbana e na recuperação de prédios do patrimônio público.
 
Obras
Diversos projetos têm sido executados e em execuções, desde janeiro do ano passado. Veículos e frota do transporte escolar foram recuperados. Novos trechos de pavimentação em andamento, pátio de máquinas recuperado, creche, centro cultural e ginásio revitalizados. “O abandono, a falta de autoridade e o abuso de vândalos deixou estruturas públicas em estado precário.

Precisamos de planejamento, dinheiro e perseverança para que o cenário pudesse ser gradualmente alterado”, afirma o gestor público.
Em um ambiente com despesas fixas significativas e responsabilidades crescentes, não é fácil conseguir parcerias e dinheiro para consertar o que anos de irresponsabilidade e abandono danificaram.

Todavia, é anormal refazer obras públicas construídas no passado por terem sofrido abandono, nenhuma manutenção por mais de uma década, não deveria ser um dos principais papéis do prefeito de nenhum município. O normal de uma gestão seria com novas estruturas e programas, com a abertura de empregos e com incentivos à iniciativa privada, medidas necessárias para criar as condições certas para o crescimento e a geração de oportunidades.

O maior desafio de prefeitos com visão estadista, muito mais do que basicamente cumprir exigências imputadas pela lei, é criar mecanismos que permitam contínuos avanços à sua comunidade e ao seu município, com efeitos de longo prazo.

“O homem é por natureza um ser para a superação, por isso não pode se entregar ao comodismo sob o risco de sepultar a sua história e anular o seu futuro”, afirma Adelar Arrosi.

 



Confira imagem(ns).