Quarta Feira, 19 de Setembro de 2018
Adelar Arrosi adota “jeito franciscano de fazer” obras

O estilo austero de administrar do prefeito Adelar Arrosi (PSDB) uma virtude particular do homem.

 Administrador
 05/05/2018|15:50:05
 Obras

O estilo austero de administrar do prefeito Adelar Arrosi (PSDB) uma virtude particular do homem Adelar Arrosi, garante avanços e economia à gestão dos recursos públicos do município de Ibema. A forma de tratar os assuntos da prefeitura reflete a personalidade do gestor, que é agricultor e empresário atuante na iniciativa privada.

“Os recursos são limitados, os repasses do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) principal receita de Ibema, tem encolhido. Por outro lado o comprometimento da receita com despesas fixas é intocável. Com esses desafios, é preciso pulso firme, criatividade e cuidado para honrar compromissos e investir em obras com recursos próprios do município”, diz o prefeito.

Adelar Arrosi adotou o que chama de “jeito franciscano de fazer” obras. Ele dá um exemplo de como esse modelo funciona e cita para tanto a revitalização do Ginásio de Esportes Francisco Natel de Camargo.

Por três gestões (12 anos), a estrutura não recebeu qualquer tipo de investimento ou reparo. “O zelo foi zero, um péssimo exemplo dos gestores da época à comunidade, que tanto é cobrada para agir com responsabilidade no cuidado com o patrimônio público”, diz Adelar Arrosi, que foi prefeito por oito anos consecutivos, de 1997 a 2004.

 

Até 60% a menos

Para economizar e ao mesmo tempo recuperar as estruturas físicas e a auto-estima da população de Ibema (que passou por momentos difíceis até o fim de 2016, com escândalos e desvios de recursos públicos), a administração passou a licitar apenas os materiais empregados nas obras de reparo e revitalização.

“A mão de obra utilizada são servidores municipais que já atuam e têm aptidão nesse tipo de tarefa. Com isso, há redução substancial de gastos (de até 60% em valores financeiros) na melhoria de estruturas fundamentais à comunidade, a exemplo desse ginásio municipal de esportes.

Esses prédios passam então a funcionar em melhor situação estética, funcional e estrutural”, ressalta o prefeito, aos poucos vai ficando para traz o aspecto de cidade abandonada.

Licitando apenas o material de construção, o valor que exigido da prefeitura, na reforma do ginásio, é de R$ 45 mil em material. Com mais cerca de 45 mil em mão de obra, ficara por cerca de 90 mil, concluída a obra.

O gasto é bem menor que os R$ 176 mil orçados, caso uma empresa fosse contratada pelo método convencional de licitação pública. Outra vantagem é que o prazo de execução é bem menor, de apenas 70 contra os 150 dias que, por força de contrato, teria de ser dado à empresa vencedora do certame.

Há ainda, conforme Adelar Arrosi, mais qualidade nos trabalhos e outro aspecto importante: “Com essa atitude, estamos livres do desconforto de ter que se suportar algumas empresas picaretas que participam, mesmo sem nenhuma condição técnica e estrutural, de licitações em prefeituras”.

 
 
 


Confira imagem(ns).