Terça Feira, 20 de Agosto de 2019
Ibema Desapropria áreas para levar água a famílias assentadas

O dinheiro liberado pelo Ministério da Saúde e Funasa será suficiente para a implantação de dois poços artesianos.

 Administrador
 21/03/2019|07:18:18
 Gabinete

Uma conquista que exigiu muito trabalho, determinação e persistência. É assim que o prefeito de Ibema, Adelar Arrosi (PSDB), define recentes imissões de posse conseguidas na Justiça pela administração pública para implantar sistema de abastecimento que levará água tratada a mais de cem famílias de pequenos agricultores de uma área de assentamento no interior do município.

O prefeito Adelar Arrosi lembra que no início da atual gestão apresentou projeto para levar água tratada a essas famílias, conseguindo a liberação do Ministério da Saúde e da Funasa (Fundação Nacional de Saúde) de R$ 998 mil a fundo perdido para a obra.

A autorização para licitação só pode ocorrer mediante a autorização do proprietário das matrículas dos imóveis em função de litígio em torno das áreas do assentamento, ou dessa forma, DESAPROPRIÇÃO JUDUCIAL.

 

As ocupações ocorreram há mais de 30 anos e as famílias que estão no local experimentam várias privações, inclusive de água tratada, segundo Adelar Arrosi. Parte da área fica na fazenda Badotti e outra na Caldato. Na tentativa de garantir a liberação dos recursos, o prefeito buscou diálogo com os representantes legais de olho na autorização administrativa para que a licitação prosseguisse e a obra, que é um avanço e um direito social dos assentados, pudesse ser realizada.

 

Sem a autorização por consenso, o Prefeito então buscou o caminho da Justiça para obter as matrículas e o direito de levar a melhoria para as famílias. A imissão de posse ao município acaba de ser concedida pelo juiz de Direito da Comarca de Catanduvas, Giovane Rymsza. Com a autorização em mãos, agora o prefeito mandará a imissão ao Ministério da Saúde, que então anexará o documento ao processo e autorizará a licitação. A previsão é que a solução definitiva e a implantação do sistema de água ocorram ainda em 2019.

 

A obra

 

O dinheiro liberado pelo Ministério da Saúde e Funasa será suficiente para a implantação de dois poços artesianos, dois reservatórios com capacidade de dez mil litros cada e instalação da rede de distribuição. “A água tratada chegará na casa de cada uma das famílias, melhorando assim consideravelmente a suas condições de vida.

Água de qualidade significa mais dignidade, respeito e saúde às pessoas”, afirma o prefeito Adelar Arrosi.

 

Os primeiros benefícios à comunidade do assentamento ocorreram pelas mãos de Adelar Arrosi na sua primeira gestão a partir de 1997. “Levamos energia elétrica, telefone e algumas edificações de uso comum, dois salões  comunitários e quadra de esportes iluminada às famílias, que até então estavam praticamente isoladas do mundo. Mesmo assim, só agora, é que a água tratada, um direito tão básico, vai atender essa população. Estou feliz com o desfecho, pois cada um escreve sua  historia, outros a lêem, essa é uma situação antiga e que precisa, de uma vez por todas, ser legalmente pacificada”, diz Adelar Arrosi.